Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

soutodaamor

soutodaamor

Gafanhoto Feio e Mau

Pessoas!

Eu bem que andava distraída.

De já não lhes pôr a vista em cima á uns meses, nem me lembrava que existiam!

Só que este bicho horroroso faz questão de marcar presença na minha vida!

E então vai de se meter comigo.

Ora atentem no que vos passo a contar:

Domingo, eu e Mamã temos o hábito de fazer uma visitinha á nova morada do Papá, leia-se Sepultura Perpétua, lá no Cemitério de Vila Praia de Âncora.

Nem todos os Domingos acontece, mas este (que foi ontem) levamos flores fresquinhas e lindas. 

Entretida que estava a arranjar a floreira, Mamã diz-me isto:

"Ana Sofia não te mexas!..."

Ora vocês sabem como eu sou Amor de Contrariar, não sabem?!

E portanto, como já todos adivinharam, levantei-me de um pulo questionando:

"O QUE FOI???"

Mamã olhou para mim...

E respondeu:

"Agora já não é nada...", mas manteve-se MUITO PARALISADA...

Achei estranho, mas continuei na minha lide de decoradora da Floreira de Sr. Vazézinho.

No entanto, fiquei com pulguedo atrás das orelhas, e de vez em quando deitava um olhar de esguelha á minha progenitora.

E via que ela se mantinha MUITO PARALISADA.

"MAU! Mas o que é que se passa Mamã?" questionei, mas sem me levantar, pois que estava de cócoras.

"Nada... continua na tua vidinha..." e reparei nessa altura que ela não me olhava nos olhos (como é hábito de mamã, que nos trespassa só com o olhar ) mas sim para algures entre os meus ombros e costas.

Não pensei em nada. JURO QUE NÃO! Mas tive de ir lá com a mão.

AS-NEI-RA!!!

Senti que qualquer coisa que não fazia parte de mim, no sentido de não fazer parte do meu corpo desde que nasci, se moveu ou se levantou ou saíu de mim ou o RAIO QUE O PARTA!

Pois que, Exmo. Sr. Gafanhoto côr de cócó de bébé quando come papa Cérelac, estava pousado algures lá para trás, em mim, e não gostando que eu lá fosse com a mão, saltou indo-se alojar na floreira Linda do Papá!

OLHA O DESPLANTE, diria mesmo O ATREVIMENTO do fulano!

Bem... nem vos digo o degredo que foi naquele cemitério!

Só vos digo assim: estou convencida, até hoje, que os falecidos ouviram!

E depois foi levar com o riso da Mamã e a atasanar-me a cabeça:

"Eu disse-te que não te mexesses! Mas tu és sempre a mesma coisa... nunca obedeces!"