Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

soutodaamor

soutodaamor

Em modo relax... #3

"O jogo da Imitação" foi o filme que escolhi este fim-de-semana para me relaxar. 

Gosto bastante do actor principal, Benedict Cumberbatch, e confesso que foi por causa dele que me "apeteceu" ver o filme. Aliado ao actor, gosto especialmente de filmes que nos dêem a conhecer factos verídicos e desconhecidos da maior parte de nós. Como sempre, Benedict Cumberbatch, não me desiludiu... acho que interpreta muitissimo bem o papel do matemático, lógico, criptoanalista e cientista da computação britânico, Alan Mathison Turing. 

E é deste Senhor que vou falar, porque do filme em si já toda a gente ouviu, ou se não ouviram, vão lá aqui que já ficam com uma ideia.

Ora voltando ao Sr. Turing...

Nascido em Londres a 23 de Junho de 1912, tinha um irmão mais velho e ambos foram deixados ao cuidado de um casal de aposentados, enquanto os seus pais viajavam para a India, por causa das obrigações profissionais do pai que trabalhava no "Indian Civil Service".

Em idade escolar, Alan Turing começou a dedicar-se a teoremas e à Teoria da Computabilidade, tendo-se tornado a sua "principal preocupação" já depois de formado: o que se poderia fazer atavés da computação.

Aos 24 anos tornou-se conhecido com a projeção de uma máquina que pudesse fazer operações computacionais. Começa a ser deliniada a ideia de computabilidade... Para comprovar a inteligência artificial ou não de um computador, Turing desenvolveu um teste que consistia em um operador não poder diferenciar se as respostas a perguntas elaboradas pelo operador, eram vindas ou não, de um computador. Caso afirmativo, o computador poderia ser considerado como dotado de inteligência artificial.

Devido a este feito, Alan Turing é considerado o Pai da ciência da computação.

Em 1943, com 31 anos, projecta a máquina que foi utilizada na II Guerra Mundial, e que foi decisiva para a vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial. Nominando-a de "Colossus", a máquina tinha como missão descodificar os códigos alemães ultra-secretos produzidos por outra máquina de codificação chamada "Enigma". Esta sua contribuição foi fundamental para o desenvolvimento da informática. 

Esta foi a sua vida profissional. A pessoal foi bem mais "complicada".

Alan Turing era homossexual e assumiu-se como tal em 1950, aos 38 anos.  

Foi humilhado em público, impedido de acompanhar estudos sobre computadores, julgado por "vícios impróprios" e condenado a terapias à base de estrogénio, uma hormona feminina o que, no fundo, equivalia a castração química e que teve o humilhante efeito secundário de lhe fazer crescer seios (ginecomastia).

A 8 de junho de 1954, é encontrado morto por um criado, na sua casa em Wilmslow, Cheshire. A autópsia estabeleceu que a causa da morte foi envenenamento por cianeto. Quando o seu corpo foi descoberto, uma maçã estava meia comida ao lado da sua cama, e embora a maçã não tenha sido testada quanto ao cianeto, especula-se que este foi o meio pelo qual ingeriu a dose fatal. Existiu, na altura, muita controvérsia em relação á causa da morte. A mãe argumentou sempre, com veemência, que a ingestão fora acidental, causada pelo armazenamento descuidado do seu filho de produtos químicos de laboratório. O biógrafo Andrew Hodges sugere que Turing pode ter se matado deliberadamente, de forma bastante ambígua, para dar à sua mãe alguma negação plausível. Outros sugerem que Turing estava encenando uma cena do filme Branca de Neve, de 1937, seu conto de fadas favorito, salientando que ele tinha "um prazer especialmente mordaz na cena em que a bruxa malvada mergulha a maçã na poção venenosa." Por fim, Jack Copeland defendeu que a sua morte pode ter sido acidental como resultado de inalação de vapores de cianeto durante uma experiência química conduzida no improvisado laboratório que tinha em casa e onde já anteriormente sofrera acidentes por descuido. 

55 anos após a sua morte, a 11 de Setembro de 2009, foram pedidas desculpas formais, pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, em nome do governo, pelo tratamento preconceituoso e desumano dado a Turing, que o terá levado ao presumível suicídio.

Passados 4 anos, a 24 de Dezembro de 2013, passou a ter efeito a "Real Prerrogativa do Perdão", concedida a Turing pela Rainha Elizabeth II.

transferir.jpg

 

(imagem retirada da net, já sabem...)

Bem haja Sr. Turing.

Que, se não fosse pela sua capacidade de perserverança, dedicação e firmeza, não estariamos aqui hoje a dedilhar em frente a um computador...  

 

(A biografia foi vista no Wikipédia, o que tambem já não é novidade...)

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.