Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

soutodaamor

soutodaamor

Amor JÁ É Mãe-De-Prata!

Como já sabem, ando ocupada com o Tesourinho cá.

Mas hoje, especialmente hoje, não podia deixar de partilhar este dia convosco.

Como ando sem tempo, vou fazer aqui um "past-copy" e postar um texto que escrevi há exactamente um ano lá no meu facecoiso. Foi há um ano, mas está actualizadissimo. Só lhe alterei o número, porque de resto não lhe retirei uma vírgula que fosse 

Então aqui vai:

"Ora vamos lá a mais uma dissertação.
Hoje é dedicada ao tema “SER MÃE”.
E passo já a dar a explicação, não vão vocês reclamar que deixo o melhor para o fim: hoje é o 25º aniversário do rapaz que é meu filho.
E portanto, cá vamos nós…
Ser mãe não é de todo o que vemos nos filmes… bebés risonhos e limpinhos, crianças silenciosas e obedientes, adolescentes a ajudarem os pais nas tarefas domésticas, homens já feitos a partilharem as suas vivências com os papás.
Ser mãe NÃO É DE TODO ISTO!
Ser mãe É BEM MAIS INTERESSANTE!
É passar-se noites em branco porque as dores dos dentinhos (que ainda estão por vir!) se lembram de aparecer numa hora que não lembra a ninguém, ou porque as amigdalites fazem das suas, ou porque sim… porque a criancinha não tem sono. É ter de se andar com mil e uma tralhas atrás, porque se sai de casa e então é: “E se tem fome?” Mais um iogurtinho daqueles cheiinhos de vitaminas porque a nossa criança tem de ser saudável e só lhe faz bem, e um par de bolachas porque vai sempre bem com o iogurte e a frutinha, porque lá está, tem tudo o que faz bem á nossa criança. “E se faz frio?” Vai mais um casaco, camisola, gorro, cachecol… porque frio? NUNCA! “E se faz o cocó na hora imprópria?” Vai mais um par de calças… Não! Melhor! Uma muda completa de roupa! “E se lhe dá a vontade do brinquedo preferido?” Pronto!... Leva-se o brinquedo preferido… e mais este… e aquele também me parece bem… “Vamos embora não?!” Ouve-se o pai da criança a dizer… “Vamos-vamos… Só faltam mais 10 coisas… Entretanto leva esses sacos!” E por fim lá vamos nós, só até ali, passear um bocadinho…
É não estarmos AINDA preparadas para o 1º DIA DE ESCOLA á séria. Para o 1º e para os restantes… “E se cai?” “E se tiver fominha?” “E se um menino mau lhe bater?” “E se fica doente?” “E se…” Nesta altura damos pela infinidade de “se’s” que há. Sim! Porque ao nosso tesourinho não pode faltar a segurança que só nós MÃES sabemos dar!
É levarmos com as birras e amuos, da criancinha que já anda na escola e que pressupostamente já não faz cenas em público, certo? ERRADO!!!
É ouvir-se respostas “tortas” quando achamos que eles ainda não estão em idade para isso. É acordarmos “prá vida” e chegarmos á conclusão que eles já estão na idade da parvalheira. Naquela idade fantástica em que eles é que têm a razão e nós somos umas caducas que não percebemos nada.
E logo de seguida chega a altura de começar a não haver horas para chegar a casa… e lá voltamos nós ás noites em branco. E ouve-se o som do tinóni que teve a péssima ideia de passar á nossa porta quando o filho ainda não está em casa… e é as cenas: telefona… não atende… “Pronto! Era ele que ia na ambulância… E ninguém me diz nada! E é a ultima vez que sai de casa… e AI QUANDO CHEGAR!!! Não… espera… está a caminho do hospital” E toca o telemóvel. E É ELE a telefonar… “Tá tudo bem mãe… não te preocupes” E a noite é passada em branco enquanto ele não estiver no quentinho da cama, na segurança AO PÉ DA MÃE!
E num pulo estamos na fase “adulta”. E o cordão umbilical é “cortado”. Porque já trabalham, já são independentes, já se preparam para uma vida “fora” de casa. E a vida de mãe continua a ser interessante! “Olha que bom! Já é independente… Já não tenho de me preocupar!” MEN-TI-RA!!!
Desenganem-se! A minha mãe sempre me disse “Filhos criados, trabalhos dobrados!” E, para não variar, as MÃES têm sempre razão! As preocupações são outras… já não há fraldas, coleguinhas que os podem “maltratar” (que o meu sempre me surpreendeu pelo “desenrascanço” no que diz respeito à auto-defesa… nem sei a quem “puxará”!  ). Não há horas marcadas para chegar a casa, não há pedidos de autorização. Mas há a preocupação do futuro! Um emprego certo, o ser feliz, o estar realizado, o ser bem-sucedido.
E ele diz-me: “Mãe!!! Preocupas-te demais!!!”
Pois preocupo!
Mas é assim que eu sei ser mãe! Nunca vivenciei uma maternidade despreocupada! Haverá com toda a certeza outras maneiras de o ser. Mas eu não conheço!
SOU MÃE ASSIM E PONTO FINAL!
E já lá vão 25 aninhos.
Abreijos desta Mãe que é um stress só!"

 

E há um ano foi isto, Pessoas. Passados 365 dias continua tudo igual!

Hoje torno-me Mãe-De-Prata 

E há festa cá por casa 

Agora vamos lá a ver... quem quer conhecer o meu Tesourinho?

"EEEEEUUUUUUUU!"

Ena-ena! Tanta gente!

Tá bem, então! Fiquem com a "evolução" da Coisa Mai Linda Tesouro da Mãe.

1 dia.jpg

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.